segunda-feira, janeiro 16, 2012

Luar




Se me ensinares os segredos do silêncio,
 para sempre o meu poema será teu!

Se me contares dos campos e das sementes,
 a terra inteira cobrirei de rubras rosas!

Se me deres tintas coloridas de arco-íris,
 pintarei de azul de Vermeer o teu céu !

Se souberes dos voos e das rotas,
 seguir-te-ei no dorso das mariposas!

Mas se fores apenas o segredo,
 a escuridão imensa?
 A inquietação?

Se apenas fores o luar de janeiro,
 o frio do inverno, a chuva intensa?
Este vento que me arrasa o coração?

Seja eu então a escrava nua,
ao tronco frio acorrentada.
Seja eu apenas a triste Lua,
que na minha alma se vê espelhada.

3 comentários:

tuxeca disse...

O segredo do silêncio é a descoberta dos sentidos para a orientação de meus passos, meus caminhos tortuosos e demais cansaços.
as cores do Arco Iris são a visualização de meus sonhos como num jogo que é para ganhar, porque sem jogo não há sonho e eu quero e a Felicidade vou conquistar.
Se é em Janeiro com chuva ou nevoeiro há que saber esperar, porque no dia seguinte h+a sempre o Luar....

Beijinhos amiga Esperemos pelo Luar que o Universo nos vai enviar.

Clotilde S. disse...

Esperemos sim, amiga! udo de bom para ti e obrigada pelo comentário tão bonito! beijinhos

Eduardo Aleixo disse...

É lindo este poema feito de versos de dádiva, de sílabas enamoradas, com todos os sons e tons da terra, do mar, do céu e do ar, onde os anjos choram de inveja nas noites transparentes de luar!