domingo, julho 26, 2009

Como nasce o poema

Watering Girl de Allan Banks


Não sabemos como nasce o Poema,
nem com que linhas se tecem as palavras dos sentires.
Poderá o Poema nascer na fonte das águas metafóricas
e navegar docemente pelos rios que levam ao mar.
Será então um Poema-barco, um Poema-nau,
carregando tesouros d' aqui e d'além vida.
Ou um Poema simples como a água que rega o roseiral.
Poderá o Poema nascer na cratera do vulcão
e soletrar vocábulos de chama e de cinzas,
restos de lamas sentidas no ardor da paixão.
Poema-fogo, incendiando as moléculas vivas
que nos compõem o sangue e as emoções.
Mas nada se sabe da Luz, da Dor, da Alegria ou do Temor
que verdadeira e absolutamente fazem surgir o Poema.
Do Elixir dos deuses,
do néctar dos anjos
ou do fruto proibido
de um Éden perdido;
Da Àgua,
do rio,
da fonte,
da onda ,
da gota
ou do mar.
Do Riso,
da lágrima,
do fogo
do quente ou do frio.
Da Doença ou da Morte.
Da Saudade ou do Beijo.
Da Mão de fada,
Da Asa de anjo,
Do Estremecimento de um duende atrevido.
Do Tudo.
Do Nada.
Assim poderá nascer o Poema.
Assim poderá Ser.







13 comentários:

Paula Raposo disse...

E será um poema!! Beijos.

Meri Pellens disse...

Poemas sempre nascem de corações belos como o teu. Bj, amiga e uma boa semana.

Maria disse...

O poema pode sempre nascer de um sorriso de uma criança...

Beijo

Clotilde S. disse...

Paula,
Tu abes do nascer do poema.
Um abraço e desejos de uma boa semana.

Beijinhos,
Clo

Clotilde S. disse...

Meri,

E tu sabes tão bem de almas e de corações, tu que és toda alma e coração também.

Um abraço amiga,
Clo

Clotilde S. disse...

Maria,

As crianças são Poesia!

Beijos muitos, amiga
Clo

Joao P. disse...

Clotilde:

O poema é lindíssimo.
É assim que nascem os poemas, de facto.

Beijo

Clotilde S. disse...

João,

Pois assim será o modo como os poemas nascem, ou não... grata pela visita.

Beijinhos e boa semana, amigo!

Isabel disse...

Poemas, para mim, são bolhas recheadas de um qualquer sentimento que flutuam no nosso interior mas que acabam por colidir e dar azo a um soltar de palavras entendíveis, ou não, mas do qual brotam emoções.
Bonito poema.

Beijito

Clotilde S. disse...

Isabel,
Gostei mito desse conceito de bolhas, como coloridas bolinhas de sabão.
Dia eliz!

Beijinho,

Clo

Maripa disse...

"Não sabemos como nasce o Poema"... sabemos senti-lo com o
coração.

Beijo,Clo. E o meu carinho.

Clotilde S. disse...

Beijinho carinhoso para si também, Maripa.

Obrigada pela visita e pelas doces partilhas com que nos brinda no seu recanto especial.

Clo

Ailime disse...

Belíssimo!
Um poema que nasceu da tua sublime inspiração!
Beijinhos