segunda-feira, março 30, 2009

Cartas de Amor



Uma aluna, a quem dou explicações de Língua Portuguesa, trouxe para a lição de hoje uma "Carta de Amor". Pretendia que eu a corrigisse, já que se trata de um exercício de produção escrita para entregar ao professor, após as férias da Páscoa.

Este episódio, que nos valeu a ambas uma boa hora de divertimento (afinal estamos de férias !), levou-nos a concluir que já pouca gente escreve cartas de amor.A sua total falta de prática e de inspiração, apesar dos jovens 16 anos, são bem prova disso.

Nos nossos dias, com os telefones portáteis, as mensagens gratuitas, o correio electrónico e, acima de tudo, a facilidade dos postais "pronto-a-enviar" com imagem, texto e música, fazem com que o Amor não se escreva e os sentimentos não se exprimam por palavras. Daí a não se saber sequer falar de emoções vai um passo tão pequenino... E quem não fala, não se entende.

E triste, todavia.O Amor precisa de elogios, de sonhos, de suspiros e de palavras bonitas; não sobrevive a demasiados silêncios. Tudo isto apesar de "todas as cartas de amor serem ridículas", no dizer de Pessoa.Mas não seremos todos um pouco tontinhos e ridículos quando amamos?

5 comentários:

Maria disse...

Somos. Ou seremos...
Mas as cartas de amor são hoje consideradas quase "jurássicas"...
:)))

Beijinho

Pitanga Doce disse...

Bem, cartas de amor eu não digo que eles mandem mas uns bilhetinhos, quando estão apaixonados, ainda encontramos pelas gavetas, sim senhora.

Joao P. disse...

O tema é interessante sim senhor...

Se é um facto que o mundo muda muito rapidamente.
Se é um facto que os alunos que estão no 8º Ano nasceram com a generalização da Internet (windows 95)
Se é um facto que os alunos que estão no 5ºano já não viveram a Expo 98.
Se o texto escrito já não é a única forma de comunicar (veja-se o peso da música)

Tenho dúvidas que eles não escrevam cartas de amor (nem que seja em poema) pois a leitura ainda faz parte dos seus horizontes e a escrita é uma forma de ter acesso a novos estádios de desenvolvimento mental (tal como o desenho para os pequenos)

Pois, pelo menos bilhetinhos...

bjs

João

Maria P. disse...

Ainda existem os bilhetinhos, e são uma ternura alguns!:)

Mas cartas de amor...

Beijinhos*

Clotilde S.(canela_e_jasmim) disse...

Obrigada pelas vistas, meus amigos.

Têm razão, bilhetinhos de amor, talvez se encontrem ainda, mas cartas de amor...

Um abraço