segunda-feira, abril 19, 2010

Volto


Volto como quem regressa da noite dos tempos, numa jangada feita de palavras cruzadas.Volto como quem regressa de uma longa viagem, com uma mala cheia de livros e muitos postais por escrever.

É sempre na ausência que reencontro a escrita., pois se as minhas palavras apenas sabem nascer nos intervalos equidistantes do silêncio.

E há uma longa planície feita de águas e de espera onde pequenos nenúfares são poemas de saudade.

7 comentários:

Joao P. disse...

Clotilde:

Ainda bem que voltaste! deixaste saudades e demos pela falta!



Beijo

João

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Clotilde,


Que bom que voltou...

Espero que a sua bagagem esteja cheia de palavras, para que tão cedo não se ausente...

Beijos,

poetaeusou . . . disse...

*
nas jangadas da saudade,
navega a tua escrita . . .
,
conchinhas, deixo,
,
*

Eduardo Aleixo disse...

O teu regresso é uma alegria para mim.
Mas quando regressas?
Beijo

Murilo Medeiros disse...

http://textoseafins-mrl.blogspot.com/
Olha ae ^^

Tiago Furtado disse...

bons textos passa no meu :)

Eduardo Aleixo disse...

Regressasre. E é bom voltar a ler-te. Mas este regresso é de 201o. E eu pensava que era regresso mais recente. Mesmo assim regressa sempre. Beijo.