domingo, abril 23, 2006

Diluições



Como uma pena leve,

diluições de pele,

num pálido papel.

Aí, onde as rosas secaram já.

6 comentários:

Sandrinha Mara disse...

Tão poucas palavras transbordando tanstos sentimentos.
Que coração lindo vc tem!
Um abraço

Jo§e disse...

Tão bons textos, que nos dão o pretexto para voltar

Um beijo

clotilde disse...

Tão bonito.
Há um cheiro estival no ar.
Há rosas fragrantes.
Sentimentos puros.
Seres belos.
Palavras de cambraia.
Há uma noite sépia
Haverá um dia sereno.

Beijinhos

canela_e_jasmim disse...

Sandrinha,
Esforço-me um pouco todos os dias, no sentido de manter o coração bonito.Mas há momentos, em que este mundo o turva bastante.
Obrigada por ter vindo visitar-me.
Beijinhos

canela_e_jasmim disse...

José,
se o que escrevo puder tocar uma alma por dia, se puder fazer alguém pensar nem que seja só um pouco, então já valeu a pena ter vindo para a blogosfera. Os meus textos, independentemente da sua maior ou menor qualidade literária, a ninguém servem quando encerrados em gavetas.
Um abraço e obrigada pela visita.

canela_e_jasmim disse...

Clotilde,
gosto desta tua dualidade.Ora escreves com antiga pena de cisne, ora arrancas de ti (li há pouco o teu último poema)arrepiantes delírios. Volta sempre amiga querida.
Beijos